Presidente da Amupe diz que durante este mês de agosto não há menor condição de retomar aulas presenciais nos municípios

PUBLICIDADE

Apesar de um decreto do governo estadual estender a suspensão de atividades presenciais em instituições de ensino de Pernambuco até 15 de agosto, prefeitos de municípios do interior participaram de uma reunião virtual com o governador Paulo Câmara (PSB) na segunda-feira (3) sobre isso. Eles demonstraram preocupação com a volta às aulas em meio à pandemia do novo coronavírus.
A reunião teve a participação dos secretários estaduais de Educação e Saúde, Fred Amâncio e André Longo, respectivamente. De acordo com José Patriota, o retorno presencial das instituições de ensino depende do recuo dos números da Covid-19 em Pernambuco.
Segundo o governo, o prefeito de Carpina, Manoel Botafogo (PDT), apresentou um levantamento que constatou que, no município, 80% dos pais não devem levar as crianças para as escolas. Apesar de haver uma preocupação com a evasão escolar, os gestores também estão atentos aos riscos de infecção pelo novo coronavírus.

Ainda de acordo com o governo, houve uma apresentação do plano de retomada de escolas, creches e instituições de ensino superior no estado, mas o retorno às aulas só deve ocorrer caso os dados epidemiológicos continuem em queda.

“Entendemos que, durante o mês de agosto, não há a menor condição de retomada. Mesmo em setembro, vai ser avaliado. Vamos aguardar a terceira, quarta semana do mês de agosto, para ver se é uma medida realmente plausível”, contou o presidente da Amupe.

G1 PE

PUBLICIDADE

Comentários