Artigo.’. Pensar na economia, nas eleições ou no bem estar do povo?

Estamos passando por dias difíceis em que nunca imaginaríamos viver em nosso cotidiano. Uma história que ainda parece surreal, um filme de tensão, drama e terror, que saiu direto das telas de cinema para nossa realidade. Não é mais roteiro de arte e sim de tristeza, angustia e incertezas. O mundo inteiro está convalescendo, debilitado e amargurado, chorando a cada dia que se passa com uma enfermidade que está de forma avassaladora atingindo não apenas o nosso organismo, nossa serenidade, mas principalmente mexendo com a nossa mente.

Pois é, enquanto estamos lutando numa batalha árdua, numa sorrateira e terrível “Guerra Mundial” e pior, contra um inimigo oculto, muitos por aí a fora, nesta terra chamada Brasil, ou fingem que nada está acontecendo, ou apenas ignoram de forma irresponsável a gravidade dos fatos.

É triste! Muita gente sofrendo longe dos seus entes queridos, muita gente chorando por danos irreparáveis, por vidas que cessam e que se quer em muitos casos, nos dão o direito de uma despedida, de um último adeus.

É triste! Em meio a tanto sofrimento, ver tanta gente ainda com um sentimento individualista e egoísta, preocupada apenas no que vai ser ou fazer no amanhã que é incerto. Pois é, estamos vivendo num momento de incertezas, por isso, temos que ser mais humanos, olhar mais para o nosso lado, estender a nossa mão com o coração e não com segundas intenções.

Vamos vencer juntos esta pandemia, vamos sair desta crise sanitária juntos! O que vamos fazer amanhã? Só Deus sabe! Sei o quanto a economia  do mundo é importante, mas se nós estivermos doentes ela ficará debilitada, enferma e só se reerguerá com a nossa recuperação!  Como pensar em grandes eventos, a exemplo de festivais de Rock e Inverno?  E as nossas Festas Juninas espalhadas por todo o nosso, acolhedor, querido e amado Nordeste, se nem temos a certeza do amanhã!  Como estarei, como fui afetado, terei capital financeiro? Terei saúde? Vou estar vivo? Não sabemos! Somos seres pequenos perante os olhos do nosso Grande Arquiteto do Universo, ser Supremo que tudo sabe e tudo vê! Pois é, não estamos escondidos, nós, ao contrário deste vírus que é oculto, somos vistos a todo momento.

Ahhhh, claro, e os nossos políticos, nossos “Legítimos Representantes”? Em sua grande maioria, subestimam a nossa inteligência e tentam corromper as nossas idéias…em sua grande maioria tentam confundir nossa linha de pensamento com idiotices partidárias! Ah, vale lembrar, somos todos políticos, desde que nascemos, porém, temos as nossas escolhas! Vai ter eleição este ano? Esta vem sendo a principal pergunta nos último tempos, mas, sinceramente, estou pouco me lixando pra isso, o que eu quero saber é se vamos sobreviver para contar a história de um tal de Coronavírus, o qual estou sempre o tratando com respeito e com letra maiúscula, pois, nunca o vi, mas sei que existe,  e que por ser tão democrático, vem roubando as atenções do mundo inteiro, sendo o ator principal de um filme de terror que está em cartaz em todos os continentes. Este tal de Coronavírus não escolhe, hora, lugar, etnia , religião, faixa etária, ideologia política ou muito menos rico ou pobre! Este tal de Coronavírus é tão ruim, mas tão ruim, que está mostrando que todos nós somos iguais! Se não aprendemos na alegria, aprendemos na dor! Estamos tendo uma nova chance de sermos humanos, de agir com racionalidade! Quando tudo isso passar, quem terá aprendido? Pois vamos iniciar num momento de reconstrução, de lapidação por um todo, de nosso maior templo, o templo interior de cada um,  quando será iniciada uma nova ERA. Vamos deixar a ganância, arrogância a hipocrisia de lado e vamos voltar nossos pensamentos para a maior riqueza que Deus,  que é o grande responsável  pela geometria do universo, nos concedeu, que foi simplesmente a vida! A arte de viver e estar bem em todos os planos!

Fé, força e sabedoria!

Alberto Alves.’.

Comentários