Filmes produzidos em todo o país serão exibidos na II Mostra Sesc de Cinema

PUBLICIDADE

O Sesc Caruaru está no roteiro da Mostra que acontece até sexta (9/11), no Teatro Rui Limeira Rosal. O acesso é gratuito

O Sesc Pernambuco realiza no mês de novembro a segunda edição da Mostra Sesc de Cinema, promovido pelo Departamento Nacional. O objetivo é promover a difusão da produção cinematográfica brasileira que não chega ao circuito comercial de exibição. A cidade de Caruaru está no roteiro da Mostra. As sessões serão no Teatro Rui Limeira Rosal, de 5 a 9 de novembro, sempre às 14h30 e às 19h30.

Entre os destaques estão as produções pernambucanas “Fantasia de Índio”, de Manuela Andrade e “Aurora 1964”, de Diego Di Niglio. O Sesc Caruaru vai receber produções do Nordeste e Sudeste. A grade traz “Òrun Àiyé – A Criação do Mundo” (BA), de Jamile Coelho e Cíntia Maria; “Médico de Monstro” (SP), de Gustavo Teixeira; “Metamorfose” (MG), de Jane Carla Oliveira da Silva; “No Caminho da Escola” (ES), de Beatriz Lindenberg e alunos da rede municipal de Vitória; “Galeria Rua” (PI), de Jonathan Dourado; “Os Desejos de Miriam” (AL), de Nuno Balducci; “Atrito” (PB), de Diego Lima; “Entremundo” (SP), de Thiago B. Mendonça e Renata Jardim. Além de “Escolas em Luta” (SP), de Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques e Tiago Tambelli; “Lençol de Inverno” (MG), de Bruno Rubim; “Baronesa” (MG), de Juliana Antunes; “Labor” (ES), de Thiago Moulin e “Lamparina da Aurora” (MA), de Frederico Machado.

“Os filmes de curta e longa metragem foram selecionados em todo o país para a Mostra Sesc de Cinema 2017/2018 que pretende contribuir com o campo audiovisual, sendo um espaço de lançamento e promoção de artistas de todas as regiões do país. Ao trazê-los para Pernambuco, damos a oportunidade de o público possa ter contato com o que há de mais novo na produção cinematográfica brasileira”, afirma a instrutora de atividades artísticas do Sesc Pernambuco, Naruna Pereira.

A cidade de Arcoverde vai receber a Mostra de 6 a 9 de novembro, no Teatro Geraldo Barros, e Garanhuns entre os dias 5 e 9, no Salão Jaime Pincho. A programação completa pode ser conferida no site do Sesc (www.sescpe.org.br).

Sesc – O Serviço Social do Comércio (Sesc) foi criado em 1946. Em Pernambuco, iniciou suas atividades em 1947. Oferece para os funcionários do comércio de bens, serviços e turismo, bem como para o público geral, a preços módicos ou gratuitamente, atividades nas áreas de educação, saúde, cultura, recreação, esporte, turismo e assistência social. Atualmente, existem 20 unidades do Sesc do Litoral ao Sertão do estado, incluindo dois hotéis, em Garanhuns e Triunfo. Essas unidades dispõem de escolas, equipamentos culturais (como teatros e galerias de arte), restaurantes, academia, quadras poliesportivas, campos de futebol, entre outros espaços e projetos. Para conhecer cada unidade, os projetos ou acessar a programação do mês do Sesc em Pernambuco, basta acessar www.sescpe.org.br.

Serviço – Mostra Sesc de Cinema em Caruaru
Data: até 9 de novembro de 2018
Local: Teatro Rui Limeira Rosal do Sesc Caruaru
Entrada gratuita
Informações (81) 3721.3967

Programação
de terça a sexta (6 a 9/11) – 14h30
“Òrun Àiyé – A Criação do Mundo”, de Jamile Coelho e Cíntia Maria (classificação livre)
“Médico de Monstro”, de Gustavo Teixeira (classificação livre)
“Metamorfose”, de Jane Carla Oliveira da Silva (classificação livre)
“No Caminho da Escola”, de Beatriz Lindenberg e alunos da rede municipal de Vitória (classificação livre)

Terça (6/11) – 19h30
“Entremundo”, de Thiago B. Mendonça e Renata Jardim (classificação 10 anos);
“Escolas em Luta”, de Eduardo Consonni, Rodrigo T. Marques e Tiago Tambelli (classificação livre);

Quarta (7/11) – 19h30
“Lençol de Inverno”, de Bruno Rubim (classificação livre)
“Baronesa”, de Juliana Antunes (classificação 16 anos)

Quinta (8/11) – 19h30
“Labor” (ES), de Thiago Moulin (classificação livre);
“Lamparina da Aurora” (MA), de Frederico Machado (classificação 16 anos).

Sexta (9/11) – 19h30
“Fantasia de Índio”, de Manuela Andrade (classificação livre)
“Aurora 1964”, de Diego Di Niglio (classificação 12 anos)

PUBLICIDADE

Comentários