Orquestra de Pífanos e Maestro Mozart Vieira fazem abertura oficial do São João de Caruaru

PUBLICIDADE

Comemorando 10 anos, orquestra se apresenta com um número recorde de 75 componentes

A Orquestra de Pífanos de Caruaru se apresentará, mais uma vez, na abertura do Maior e Melhor São João do Mundo, dia 2 de junho, no Parque de Eventos Luiz Lua Gonzaga. Este ano, comemorando dez anos de fundação, a banda promete se apresentar com um diferencial, trazendo novos arranjos e novas músicas no repertório, sonoridade diferenciada nos timbres e alto nível de afinação, em virtude de um trabalho de pesquisa para confecção dos novos pífanos, feitos pelo pifeiro Luthier Alexandre Rodrigues.

Outra novidade importante é a quantidade de integrantes. Em 2017, a orquestra possuía 55 músicos, este ano 75 músicos e mais oito componentes da equipe técnica fazem parte do grupo, entre pifeiros, percussionistas, coralistas e instrumentistas harmônicos.

Criado pelo maestro Mozart Vieira em 1º de junho de 2008, o movimento é uma autêntica expressão da cultura popular do Nordeste brasileiro. A banda abriu o São João de Caruaru nos anos de 2010 e 2017 e volta em 2018, sempre com a participação especial da madrinha Elba Ramalho.

A banda, desde a sua fundação, tem feito uma histórica parceria com a Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru (FCTC). A formação continuada é desenvolvida tanto na orquestra como no projeto “Escola de Pífanos do Alto do Moura”, coordenado pela maestrina Creusa Viera e criado pela FCTC e que foi inspirado no trabalho desenvolvido pela orquestra.

“A orquestra possui um trabalho experimental, onde o respeito à história e à tradição do pífano e seus mestres é o ponto de partida. Além de ser um ambiente de pesquisa, o intercâmbio cultural entre mestres pifeiros e jovens aprendizes, junto com pesquisadores, estudantes universitários de música e amantes da arte do pífano, faz com que esse caldeirão de emoções transborde e mantenha-se em efervescência todo o tempo, respeitando a tradição e a transmissão do conhecimento oral e empírico”, explicou Maestro Mozart Vieira, criador e regente do grupo.

Segue abaixo a ficha técnica da orquestra entre direção artística, direção musical, arranjos e regência:

12 primeiros pífanos

Edmilson do Pife
Anderson do Pife
Marcos Wendel
Zau
Philipe
Seu Antônio
Andinho
Seu Vavá
Alexandre
Marcos do Pife
Léo
Jucí

12 Segundos Pífanos

Ângelo
Rennan
Paulo
Juan
Ronaldo
Lucas
Wesklei
Jailson
Marques
Verônica
Vitória
Emerson

14 Percussionistas

Percussão / Efeitos especiais – Cacau Arcoverde
Zabumba – Basto
Caixa – Junior Franceis
1º Contra Surdo – Gérson
2º Contra Surdo – Márcio
Pratos – Zé Gago
1º Pandeiro – Mestre Tonho
2º Pandeiro – Marcílio
Maraca – Alex
Triângulo – Wellington
1º Agogô – Maurício
2º Agogô – Claudinho
Reco-reco brasileiro – Santos
Reco-reco Angolano – Bibi

Base harmônica

Violão de 6 Cordas – Ezequias Lira
Violão de 8 Cordas – Rubem França
Violão de 7 Cordas – Renan Melo
Viola de 10 cordas – Elias de Oliveira
Cavaquinho – Marcus Vinícius
Cavaquinho – João Paulo Albertim
Bandolim – Marco César
Contrabaixo Elétrico – Eudes
Guitarra Acústica – Ronaldo Batata
Sanfona – Sebastian Silva

26 Coralistas

Riá Oliveira
Thayse
J. Lima do Forró
Yahoo Senna
Benna Rey
Kinho Ramalho
Wesley Santos
Wandelmo Pontes
Vinícius
Adilma
Creusa
Carla
Juliana
Vitória
Tiago Caruaru
Joany
Gisele
Gilmara
Renilda
Ryan
Thiago
João Victor
Luiz
Daniel
Gustavo

Equipe Técnica

Ronaldo Batata – Arranjador
Thadeu – Operador de Som
José – Técnico de Som
Jan Gravações – Montador
Anderson – Montador
Ricardo – Produtor Executivo
Júlio Freitas – Fotógrafo
Associação dos Forrozeiros de Caruaru (ASFOC)

PUBLICIDADE

Comentários