A importância da Caixa 100% pública será tema de audiência na Câmara de Vereadores de Caruaru

O objetivo da audiência é debater sobre a proposta de privatização da Caixa Econômica Federal, destacando a importância desse Banco Público em todo o país.

Em diálogo com Sindicatos e a Federação Nacional das Associações dos Gestores da CAIXA – FENAG, o mandato do Vereador Daniel Finizola requereu a realização de Audiência Pública, a ser será realizada na próxima sexta (24), a partir das 9 horas, na Câmara Municipal. O senador Humberto Costa (PT) participará da atividade.

“A Caixa 100% Pública é fundamental para continuar executando políticas sociais imprescindíveis para a nossa população. Caruaru é um exemplo claro da atuação da CAIXA em prol da sociedade, através de sua rede de agências, pelos empreendimentos imobiliários financiados, pelo incentivo ao comércio, indústria e serviços e pelos mais diversos programas de alcance social. Nesse momento em que existe de fato uma ameaça de abertura do Capital da Caixa à iniciativa privada, precisamos atuar em defesa dela, sendo fundamental o apoio da sociedade”, disse Marconi Apolo, Diretor de Relações Institucionais da FENAG.

“Vivemos um momento de profunda crise no país, com ameaças e perdas reais do patrimônio público. O fantasma das privatizações, que já nos fez perder tanto na década de 90, volta a assombrar as Empresas Estatais, as Universidades Públicas e os serviços, sem os quais tantos direitos ficariam acessíveis apenas aos que podem pagar por eles. Por isso, defender a Caixa 100% pública é defender a riqueza nacional. É papel da Câmara Municipal incorporar a sociedade a um debate tão relevante, uma luta que exige toda nossa resistência”, afirmou o Vereador Daniel Finizola.

Segue a justificativa da solicitação da realização da Audiência.

JUSTIFICATIVA

A Caixa é o banco da habitação. Graças a ela, milhões de brasileiros realizam o sonho da casa própria todos os anos. Só por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, que é operado pela Caixa, mais de 2,6 milhões de famílias foram beneficiadas desde 2009. São quase R$ 300 bilhões investidos, o que possibilitou, nesses oito anos, a entrega de 1.200 moradias por dia e a geração de 1,2 milhão de empregos. Em relação ao FGTS, a Caixa também é fundamental. Ela administra hoje recursos da ordem de R$ 490 bilhões e realiza mil pagamentos a cada 10 minutos. Aliás, que outro banco abriria aos sábados para que 26 milhões de brasileiros sacassem as contas inativas? Além de socorrer trabalhadores nas dificuldades, o Fundo de Garantia ajuda no desenvolvimento do país. Mais de 4 mil cidades já tiveram obras financiadas com recursos do FGTS. Mas a Caixa é também o banco dos programas sociais, do saneamento básico, da poupança, do esporte, da cultura, das Loterias, dos municípios. Impossível encontrar um cidadão que não tenha alguma relação com a Caixa, mesmo que boa parte não tenha noção disso. O banco está hoje em praticamente todas as cidades, até mesmo nos rios da Amazônia, uma capilaridade que gera orgulho e, claro, a cobiça dos concorrentes. Propostas de privatização já foram derrotadas no passado. Foi assim entre 1995 e 2002, quando diversas empresas públicas foram preparadas para tornar-se espaços de obtenção de lucro. A reação dos empregados da Caixa agora não será diferente. As mobilizações, aliás, se intensificam a cada dia. Um dos motivos desta audiência pública pelo nosso mandato, inclusive. Não há outro caminho senão priorizar a luta em defesa do banco 100% público. Entendemos que defender a Caixa é defender o Brasil!

Comentários