Candidatura de grupo de Fernando Bezerra Coelho será com sustentação de Temer

O senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) concedeu entrevista na manhã desta sexta-feira (8) a Rádio Jornal. Ele explicou os motivos de ter deixado o PSB e ido para o PMDB. Coelho evitou dizer que vai disputar o governo ano que vem, mas disse que o filho dele e ministro das Minas e Energia, Fernando Filho, pode ser um potencial nome para entrar na disputa do governo.

No entanto o novo peemedebista garantiu que uma coisa é certa, ele não sobe no palanque de Paulo Câmara e articula uma frente de oposição ao PSB. O senador disse ainda que a candidatura de oposição será avaliada pelo presidente Michel Temer, que segundo ele, teve a coragem de fazer as reformas necessárias para o Brasil.

O ex-socialista disse ainda que o fato de ser investigado pela Operação Lava Jato não atrapalham as pretensões dele. “Não sou o único investigado. Temos aqui em Pernambuco o governador Paulo Câmara, o prefeito Geraldo Júlio e até o nome de Eduardo Campos é citado. Tenho certeza que os inquéritos serão arquivados e tudo vai ficar claro”, disse.

Segundo ele, a articulações seguem sendo feitas para que a oposição tenha um palanque forte. Ele evitou ainda polemizar com o senador Jarbas Vasconcelos, que comanda o PMDB em Pernambuco e é aliado de Paulo Câmara. “No dia da minha filiação ao PMDB estavam lá Armando Monteiro, Bruno Araújo e Mendonça Filho, que devem compor com a gente. Como também outros partidos que estão na linha de frente do atual governo e querem deixar a gestão para ir para a oposição”, disse.

Comentários