Nota de Repúdio à Compesa

PUBLICIDADE

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara de Vereadores de Caruaru repudia a nota enviada pela Compesa e reitera sua confiança no laudo emitido pela BIOTECH, entendendo que o laudo sobre a amostra de água coletada no ducto de acesso ao Rio Ipojuca é impropria para consumo e representa uma agressão ao Ipojuca, assim como ao meio ambiente como um todo. Vislumbrando o futuro, com a possível renaturalização do Rio Ipojuca, a Comissão de Meio Ambiente solicitou a análise enxergando um rio, e não um esgoto a céu aberto.

Segue nota resposta enviada pelo Laboratório Biotech Soluções Inteligentes para a sua Saúde LTDA para conhecimento e divulgação à imprensa.

O Laboratório Biotech Soluções Inteligentes para a sua Saúde LTDA foi contratado pela comissão de meio ambiente, representada pelo vereador José Fagner Bezerra Fernandes no dia 24/05/2017 com o intuito de analisar a água coletada do ducto de acesso ao Rio Ipojuca, oriundo da Estação de Tratamento de Esgoto da Compesa Bairro Cedro. No momento da coleta, foi solicitado ao laboratório pela comissão que fosse analisada a potabilidade dessa amostra uma vez que esta comissão tinha por finalidade saber se a água que era jogada no Rio Ipojuca pela COMPESA tinha condições de entrar em contato direto com o ser humano, principalmente para consumo,  visando a possibilidade de exploração do Rio Ipojuca para diversas finalidades futuras. A portaria que dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade é a 2914/11 MS, daí o fato do laboratório ter avaliado os seguintes parâmetros:

1) pH (Potencial Hidrogeniônco): parâmetro que contribui na avaliação do estado químico da água, importante para avaliar fases do tratamento de água e efluentes

2) Alcalinidade: medida da capacidade que a água tem de neutralizar ácidos

3) Turbidez: Expressão da propriedade óptica que faz com que a luz seja espalhada e absorvida e não transmitida. Parâmetro de qualidade estética;

4) Ortofosfatos: Sais Inorgânicos indicadores da presença de detergentes fosfatados empregados em uso doméstico, descarga de fosfatos provenientes de esgoto bruto ou tratado, drenagem agrícola, ou de determinados resíduos industriais que podem estimular o crescimento descontrolado de micro e macro organismos aquáticos fotossintéticos em grande quantidade, desencadeando processos de Eutrofização

5) Nitrito: estado de oxidação intermediária de nitrogênio. Avaliado em estação de tratamento de esgoto, sistemas de distribuição de água e em águas naturais. Raramente encontrado em águas potáveis em níveis superiores a 0,1mg/L

6) Nitrato:É encontrado em esgotos domésticos em pequenas quantidades. Porém em efluentes de estações de tratamento biológico nitrificante, pode ser encontrado em concentrações acima de 30mg/L

7) Amônio: cátion formado pela protonação da amônia (NH3-). Alta concentração de amônio evidencia contaminação por esgoto bruto, efluentes industriais, ou afluxo de fertilizantes;

8) Nitrogênio Total: Junção de todos os compostos nitrogenados: nitrato + nitrito + Amônio e elementos a base de nitrogênio

9) Dureza Total: soma dos cátions bivalentes presentes juntamente com Zinco e Alumínio. Conferem dureza a água (alteração de características organolépticas como sabor e menor capacidade de precipitação do sabão).

10) Potássio: resultado da dissolução mineral de material vegetal em decomposição, e escoamento agrícola.

11) Sulfato:Fontes de enxofre: decomposição de rochas, chuvas e agricultura;

12) Cloreto: Um dos principais ânions inorgânicos presentes na água; concentrações ultrapassam 15mg/L em Águas residuais que contêm esgotos sanitários;

13) Fluor: Resíduo de pastas de dente

14) Ferro e Manganês: Altas concentrações desses metais, conferem a água uma coloração amarelada, acarretando sabor amargo e adstringente;

15) Cloro livre e total: desinfetante mais utilizado em desinfecções de águas públicas, como pré-desinfecção ou pós-cloração.

16) Cor: grau de redução de intensidade que a luz sofre ao atravessá-la, devido à presença de sólidos dissolvidos (partículas ou microrganismos);

17) Temperatura: Aumento da temperatura provoca o aumento da velocidade das reações, em particular as de natureza bioquímica de decomposição de compostos orgânicos;

18) Coliformes Totais e Termotolerantes: indicadores de contaminação por fezes

19) Bactérias Heterotróficas: indicadores de nível de contaminação bacteriana

Além disso, foi pedido pela comissão que fosse avaliado o efluente de acordo com a resolução 357/05 (atualizada pela resolução 410/09 e 430/11) que  dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes. Foram avaliados os seguintes parâmetros:

1) Sólidos Sedimentáveis e suspensos: Os níveis de concentração de sólidos sedimentáveis e de sólidos em suspensão são relacionados entre si, constituindo-se em outro parâmetro prático de grande importância no controle operacional dos sistemas de tratamento biológico de esgotos, conhecido por índice volumétrico de lodo; As concentrações de sólidos em suspensão são medidas importantes no controle de decantadores e outras unidades de separação de sólidos;

2) Óleos e Graxas: Em águas naturais, a presença de óleos e graxas pode ser resultado da decomposição do zooplancton, despejos industriais e sanitários ou como fração livre de petróleo em solução; Devem está virtualmente ausentes de acordo com as resoluções 357/05, 410/09 e 430/11.

Foi constatado um erro de digitação com a troca do numeral 7 e o 5. Onde se lê 375, leia-se 357.

O Biotech procedeu a análise como solicitado e entregou o exame dentro do prazo estabelecido para tal. A pedido da comissão, o responsável técnico pelo laboratório leu o exame em plenária cuja conclusões se baseava nas portarias e resoluções solicitadas pela comissão. Coube a COMPESA o direito de defesa, nova análise e contestação, no entanto o Biotech atendeu áquilo que foi solicitado pela comissão e a água foi caracterizada como inadequeda dentro daquilo que era proposto por essa portaria e resoluções no que se referia a parte microbiológica para consumo humano (2914/11) e fisico-química com elevado conteúdo de óleos e graxas (RDC 357/05, 410/09 e 430/11).

O Biotech confere a COMPESA todo o direito de reanálise e avaliação por laboratório próprio ou contratado, no entanto não é concedida a exposição do laboratório como tendo feito uma análise equivocada. A não realização de todas as análises exigidas pela RDC 430/11 poderia levar a uma falsa aprovação. No entanto o que foi levantado durante a audiência não foi isso, e sim a presença de óleos e graxas além dos limites estabelecidos dentro desta mesma RDC.

O Biotech, em nome de seus sócios diretores e representado pelo advogado Henrique Andrade, mostra-se ao mesmo tempo honrado em prestar um serviço público a comissão de meio ambiente e descontente com a nota oficial da COMPESA onde classifica como EQUIVOCADA a nossa análise. Outros parâmetros dessa análise mostraram está em acordo com as portarias e RDCs citadas ao longo dessa nota. O intuito era o diálogo, no entanto a COMPESA se preocupou muito mais com os pontos em desacordo para denegrir a imagem do Biotech e colocá-lo na posição de fiscalizador, quando na realidade fomos apenas contratado para executar essa análise.

PUBLICIDADE

Comentários