Artigo – Caruaru precisa de um trânsito mais humano

PUBLICIDADE

Os acidentes envolvendo motocicletas estão cada vez mais em evidência. Alguns condutores não respeitam a legislação de trânsito, nem a vida alheia e tampouco a sua própria vida.
Recentemente analisando essa situação de acidentes de trânsito, através do Observatório de análise de acidentes em Caruaru, tivemos uma grande preocupação com essa situação. A cidade de Caruaru, com a segunda maior frota de motocicleta do Estado de Pernambuco, se depara com essa triste realidade, onde há 53 (cinquenta e três) mil motocicletas registradas no município. Este número representa 80% das ocorrências de acidentes. Para cada 10 (dez) registros, 8 (oito) envolvem motocicletas. Sejam elas, colisões de moto com carro ou moto com moto, atropelamentos, quedas acidentes, e etc. Lembramos que estes tipos de acidentes, poderiam ser evitados na sua maioria. Mas, falta consciência e senso de responsabilidade por parte do próprio condutor.
Segundo dados, 90% (noventa) porcento dos casos, são de responsabilidade do condutor, onde ele foi omisso ou imprudente em algum detalhe. Outro dado que impressiona é os atendimentos nos hospitais da cidade, cerca de 55% (cinquenta e cinco) das vitimas que deram entrada por causa do acidente não eram habilitadas. Este dado nos assusta, quando analisamos com maior cautela, além das despesas médicas, jurídica, perca de produção trabalhista e econômica, os envolvidos em acidentes ficam meses ocupando leitos nos hospitais, quando não acabam sendo mais um dado estatístico de óbito.
Partindo desta análise, temos que unir forças para conscientizar, aplicando políticas públicas, ações sociais, trabalhar o comportamento de cada um para que não se envolva em situações de risco, pois isto reflete diretamente nas reações das pessoas no trânsito. Temos que ter um trânsito mais humano para reduzir os alarmantes números que só geram caos para nossa sociedade.
Alex Monteiro,
Observatório de Análise e Prevenção de Acidentes.

PUBLICIDADE

Comentários