Mais de 37 milhões de brasileiros convivem com a intolerância à lactose

 

O processo de intolerância à lactose se dá através da incapacidade parcial ou completa de digerir o açúcar existente no leite e seus derivados. Essa deficiência na produção da lactase acaba afetando a vida de mais de 37 milhões de brasileiros, de acordo com os últimos dados divulgados pelo Ministério da Saúde. E só quem passa por isso é que sabe o problema que é conviver com os efeitos da doença.
 
Após a ingestão de uma porção de leite ou derivados, por menor que seja, é normal que a pessoa afetada pela intolerância apresente os primeiros sintomas, que podem ir de gases até a diarreia. Para uma vida tranquila, é importante compreender com antecedência a diferença entre a intolerância e a alergia à proteína do leite (caseína), síndrome do intestino irritável, doença celíaca, doença de Crohn, colite ulcerativa, alergias alimentares ou ainda a endometriose.
A pessoa que vive com a intolerância à lactose precisa compreender a importância da busca de um profissional de Nutrição que, a partir de uma avaliação, irá fazer o planejamento alimentar do paciente, proporcionando assim uma alimentação sem problemas. Para a nutricionista e professora da Faculdade Maurício de Nassau em Caruaru, Pamela Tavares, o segredo é seguir as recomendações médicas. “Nem todos os intolerantes precisam excluir leite e derivados da dieta, já que o grau de intolerância varia de indivíduo para indivíduo. Como temos várias opções de outros alimentos que contemplem tanto a necessidade de proteína como de cálcio, não há motivo para achar que essa deficiência no organismo pode ser prejudicial à captação de nutrientes necessários ao corpo”, conclui.

Comentários