Música : ‘A Feira de Caruaru’ completa 60 anos nesta terça

PUBLICIDADE

Considerada pelo cantor e compositor caruaruense Onildo Almeida como a sua “maior obra artística”, a música ‘A Feira de Caruaru’ completa 60 anos nesta terça-feira, 21.  A letra foi apresentada na Capital do Forró antes mesmo de ser concluída, despertando o interesse do ‘Rei do Baião’ Luiz Gonzaga, maior ícone da música nordestina e um grande visionário integrante do cenário da Música Popular Brasileira (MPB), que gravou em 1957 e a partir daí divulgou Caruaru no mundo inteiro, tornando o maior trabalho musical composto por Onildo.

 

LETRA : ‘A FEIRA DE CARUARU’

A Feira de Caruaru,
Faz gosto a gente vê.
De tudo que há no mundo,
Nela tem pra vendê,
Na feira de Caruaru.

Tem massa de mandioca,
Batata assada, tem ovo cru,
Banana, laranja, manga,
Batata, doce, queijo e caju,
Cenoura, jabuticaba,
Guiné, galinha, pato e peru,
Tem bode, carneiro, porco,
Se duvidá… inté cururu.

Tem cesto, balaio, corda,
Tamanco, gréia, tem cuêi-tatu,
Tem fumo, tem tabaqueiro,
Feito de chifre de boi zebu,
Caneco acuvitêro,
Penêra boa e mé de uruçú,
Tem carça de arvorada,
Que é pra matuto não andá nú.
Tem rêde, tem balieira,
Mode minino caçá nambu,
Maxixe, cebola verde,
Tomate, cuento, couve e chuchu,
Armoço feito nas torda,
Pirão mixido que nem angu,
Mubia de tamburête,
Feita do tronco do mulungú.

Tem loiça, tem ferro véio,
Sorvete de raspa que faz jaú,
Gelada, cardo de cana,
Fruta de paima e mandacaru.
Bunecos de Vitalino,
Que são cunhecidos inté no Sul,
De tudo que há no mundo,
Tem na Feira de Caruaru.

PUBLICIDADE

Comentários