Governo do Estado lança concurso do Registro do Patrimônio Vivo

A Secretaria de Cultura do Estado – Secult e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco – Fundarpe, lança nesta segunda-feira (20), XII Concurso Público do Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco – RPV-PE. O presente certame disponibilizará de seis vagas para Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco, referentes ao ano de 2017.

Em dezembro do ano passado, a Secult e Fundarpe já haviam anunciado o resultado do edital especial, que saiu com seis vagas, sendo três para o ano de 2015 e três para o ano de 2016. Foram então diplomados como patrimônios vivos o cantor Claudionor Germano, o mestre João Elias Espíndola (de Poção), José Lopes da Silva (Mestre Zé Lopes, de Glória do Goitá), José Rufino da Costa Neto (Dedé Monteiro), o Clube Carnavalesco Seu Malaquias e a Sociedade Musical 15 de Novembro.

“Estamos lançando agora o XII edital do Patrimônio Vivo, que é o primeiro após o governador Paulo Câmara ter sancionado a Lei do Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco, em dezembro de 2016, que ampliou de três para seis o número de agraciados anuais, além de ter feito uma majoração no valor das bolsas concedidas aos patrimônios. É um gesto do Governo de reconhecimento e valorização dos artistas e grupos da cultura que tem um legado a ser preservado para as próximas gerações”, diz Márcia Souto, presidente da Fundarpe.

Os requerimentos de inscrição para o preenchimento das mencionadas vagas serão recebidos no período de 20 de março a 05 de maio de 2017. O Concurso cumprirá os trâmites previstos nas seguintes fases: publicidade, inscrição, seleção, divulgação do resultado e registro final em livro específico, a cargo da Secult/Fundarpe, em conformidade com as normas e condições estabelecidas no regulamento do edital, que estará à disposição dos candidatos na Gerência de Preservação Cultural da Fundarpe (Rua da Aurora, 463/469, Boa Vista, Recife) e também no portal (ver links abaixo).

Além de uma bolsa mensal para ajudar a manter e preservar as expressões da cultura popular e tradicional pernambucana, os titulados como Patrimônios Vivos de Pernambuco ganham lugar de destaque nas programações culturais e são dispensados, por exemplo, da fase de habilitação de mérito cultural em processos como convocatórias estaduais para participação de festivais e ciclos festivos.

Comentários