Palmeiras imperiais centenárias, símbolos da origem do município de Agrestina, pedem socorro

Crime e/ou castigo

Um Obra de requalificação iniciada há mais de dez meses na Praça Pe. Cícero na cidade de Agrestina no Agreste de Pernambuco tem sido alvo constante de denúncias difundidas via redes sociais, por parte de moradores do município. O detalhe e que as palmeiras imperiais centenárias da praça, “misteriosamente” estão morrendo, depois que a prefeitura iniciou a reforma do local. Na verdade o que vem despertando a atenção da população do município, é que no projeto inicial da obra, de forma inexplicável, continha a retirada de algumas dessas árvores.
A obra foi iniciada em 11 de abril de 2016 e por ter se tratado de ano eleitoral, houve uma grande repercussão do projeto, gerando comentários negativos e duvidosos, até mesmo por parte dos próprios correligionários do prefeito, inclusive de vereadores da base aliada. Naquele momento, a prefeitura recuou e afirmou que nenhuma palmeira seria retirada do local, porém, as árvores estão morrendo de forma misteriosa, deixando a população preocupada e frustrada com a situação.
O caso foi levado ao conhecimento das autoridades, mas até o momento, nenhuma providência foi tomada. Sendo assim, foi criado um abaixo assinado em manifesto na defesa dessas palmeiras e na preservação da natureza que outrora embelezava o local. O abaixo assinado será entregue ao Greenpeace, que é uma organização global cuja a missão é proteger o meio ambiente, promover a paz e inspirar mudanças de atitudes que garantam um futuro mais verde e limpo para esta e para as futuras gerações.

 

Foto/O Pasquim

Comentários